Quem é o responsável de inserir mulheres nas STEM?


Women into STEM-topOnde é que se concentra a responsabilidade pela mudança de mentalidade em torno de mulheres terem acesso às STEM? Colleen Smith, uma Progress OpenEdge VP dá a opinião dela.

Estou plenamente consciente de que encorajar mulheres para que entrem nos campos da ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) é um desafio contínuo. Isso se evidencia pela dominação masculina continua desses campos. Eu fui recentemente entrevistada pela “Training Zone”, uma comunidade online para treinamento profissional sediada no Reino Unido, e tive o privilégio de compartilhar meus pensamentos sobre o tema.

O Editor Adjunto da Training Zone, Shonette Laffy, abordou uma vasta gama de assuntos comigo. Começando com meus pensamentos sobre os maiores obstáculos que as mulheres enfrentam para entrar nas STEM. Eu sinto sinceramente que educar mulheres em campos mais técnicos deve começar em casa, em qualquer idade. Os pais precisam começar a enxergar além da mentalidade típica de esportes para meninos e de dança para as meninas.

Embora esses tipos de atividades sejam importantes para a construção do trabalho em equipe e o conhecimento das artes, as crianças que têm experiências mais abrangentes e exposição à ciência e à tecnologia podem acabar desenvolvendo atributos muito valiosos que podem ser usados mais tarde na vida e, potencialmente, formar a base necessária para uma profissão muito lucrativa e gratificante.

No meu caso, a minha mentalidade tecnológica começou a se desenvolver em tenra idade, foi na época em que desenvolvi um forte interesse por quebra-cabeças e pela resolução de problemas. Aqueles primeiros anos de brincadeiras com quebra-cabeças e processamento de pensamento criativo em torno de como fazer as coisas acontecerem ou construí-las, foram meus alicerces. Tudo aquilo se constituiu na grande razão pela qual fiquei tão interessada em programação de computadores e resolução de problemas quando entrei na escola e posteriormente quando ingressei na faculdade.

É crucial deixarmos que as meninas percebam que é legalser esperta e incentivá-las a se envolverem em atividades que no passado eram consideradas só para meninos pela sociedade.

Além do incentivo preliminar, tanto em casa como na escola, as empresas também têm a responsabilidade de orientar mulheres. A Progress, por exemplo, inclui mulheres em seu programa, sendo essa uma iniciativa que permite a igualdade de oportunidades, pois às vezes, pode ser mais fácil para os homens alcançar mais notoriedade diante dos executivos de uma empresa. É importante que uma empresa faça com que essas oportunidades sejam mais acessíveis para as mulheres jovens.

Sou muito otimista em relação com o futuro das mulheres quanto às STEM. Afinal, algumas das empresas mais antigas e líderes em tecnologia do mundo são dirigidas por mulheres, tais como: Oracle, IBM, HP e outras. No entanto, é preciso ser cauteloso quando isso se transforma em botar a culpa na mãe trabalhadora, mas eu acredito que a tecnologia de hoje pode ajudar a superar esse obstáculo.

Leia o artigo completo aqui.

Deixe um comentário

*